(51) 98038-3873
Segunda à Sexta: 8h às 17h30
Sacola de Compras

* Calcule seu frete na página de finalização.

* Insira seu cupom de desconto na página de finalização.

28/04/2021

Confira as vantagens do conceito aberto e dicas de como aplicá-lo


 

Confira as vantagens do conceito aberto e dicas de como aplicá-lo

Dentre as principais tendências de arquitetura para este ano, o conceito aberto se tornou uma aposta cada vez mais consolidada para quem busca mobilidade e modernidade na própria casa.

A funcionalidade desse estilo de projeto oferece inúmeras vantagens para aqueles que desejam viver em um espaço assim. Por isso, no post de hoje, vamos explicar um pouco e dar dicas práticas para fazer seu próprio ambiente.

O que é o conceito aberto?

O perfil de consumidor do mercado imobiliário tem se tornado cada vez mais exigente quanto à necessidade de modernidade junto do conforto no dia a dia. Por isso, o estilo contemporâneo se reinventou e popularizou ainda mais durante a pandemia.

A ideia do conceito aberto surgiu em Nova York, aproximadamente em 1990. O crescimento da metrópole e as discussões imobiliárias fizeram com que grande parte da população investisse em transformar galpões industriais nas próprias casas.

Com muita criatividade, os moradores passaram a explorar possibilidades para deixar ambientes com o pé direito alto e menor área total em um lar que oferecesse mobilidade e aconchego. As reformas ganharam bons aliados como cortinas, paredes de vidro e divisão de cômodos utilizando os próprios móveis.

Cozinhas americanas, aquelas com bancadas abertas entre a cozinha e a sala, são bons e tradicionais exemplos do conceito aberto. Como diz o nome, a ideia principal no projeto é diminuir a quantidade de paredes e divisórias entre os cômodos, adaptando ambientes que permitam a visualização da casa como um todo.

Com o isolamento social, a procura por reformas e novos imóveis aumentou. Dentre as maiores necessidades, a ideia de estar “sempre junto” conquista cada vez mais clientes.

Quais as vantagens?

Quem já teve a experiência de conviver em plantas de conceito aberto sabe que os benefícios são incontáveis. Enumeramos alguns dos principais abaixo:

1. Apresentar uma quantidade menor de paredes transmite a sensação de amplitude para os cômodos, dando a impressão de uma casa maior

É fácil de perceber a utilidade dessa técnica para aumentar lares em projetos que esbanjam cada vez mais aberturas nas divisórias, janelas e paredes de vidro. Essas medidas trazem um impacto visual que aparentam aumentar a área total do apartamento ou da casa.

2. Integrar os ambientes traz mais mobilidade

Na hora da faxina ou da correria do dia a dia, o conceito aberto faz a diferença por diminuir a quantidade de móveis necessários para um convívio de qualidade. Tendo tudo à vista e integrado, é muito mais fácil se locomover, limpar e estar perto de quem convive conosco também.

3. Melhora a iluminação natural e a conexão com as áreas externas

Além de valorizar a decoração, a iluminação natural que transita entre os espaços livremente por janelas, claraboias e outras tecnologias aumenta a visibilidade da área externa e a conexão com a natureza. É algo simples, mas que afeta diretamente a produtividade e o humor diário. Além disso, o impacto ambiental e a conta de luz diminuem ao aproveitar a luz solar.

4. Impacta na ventilação natural

Para aumentar ainda mais o espaço útil e a conexão externa, em muitas casas de conceito aberto, a varanda é integrada ao espaço interno. Além de fazer parte da casa, incluir a ventilação natural traz o aconchego das temperaturas mais frescas e a sensação de bem-estar.

Nesse estilo habitacional, a circulação de ar cruzada auxilia não só na redução da proliferação de bactérias, fungos e ácaros, mas também na queda do consumo de energia.

Como colocar em prática?

Não sabe por onde começar? Separamos cinco dicas de mudanças que podem fazer a diferença e incluir o conceito aberto na sua casa.

  1. Experimente dividir os ambientes a partir do uso de móveis e tapetes.

  2. Decore a casa de uma forma que a mobília, os nichos e todos os detalhes conversem entre si. Assim, a sensação de aconchego ao vê-los integrados será ainda maior.

  3. Deixe espaço considerável para uma circulação livre entre os cômodos, evitando posicionar móveis que comprometam a mobilidade.

  4. Explore iluminações diferentes para delimitar e transmitir a sensação de diferentes ambientes.

  5. Escolha um tipo de piso para toda a casa.




Fonte: WEG Blog Tomadas & Interruptores